Você está aqui: Página Inicial > Iniciativas > Internacional > Consulta Pós-2015 e Seguimento à Rio+20
conteúdo

Consulta Pós-2015 e Seguimento à Rio+20

No contexto do seguimento da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (CNUDS), a Rio+20, e no que se refere ao debate em torno da construção de uma agenda de desenvolvimento pós-2015, a Secretaria-Geral da Presidência da República (SG/PR) tem buscado fomentar o processo de participação social acerca desse tema prioritário para o Brasil. Assim, a SG/PR, convidada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), apoia a realização da Consulta Nacional Pós-2015 “O mundo que nós queremos”.

O processo consiste na realização de ampla consulta à sociedade civil de 50 países selecionados com vistas à definição das prioridades e necessidades que devem ser contempladas na elaboração da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, data limite inicialmente prevista para que os países membros das Nações Unidas alcancem as metas traduzidas nos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

As consultas no Brasil foram realizadas no período de janeiro a março de 2013 por meio de questionários, votações pela internet e reuniões in loco. O resultado dessas consultas compôs o relatório apresentando pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, aos líderes globais na abertura da Assembleia Geral da ONU, realizada em setembro de 2013.

Todas essas ações são o primeiro passo de um contínuo processo de amplas consultas que a SG/PR pretende promover sobre o tema junto à sociedade brasileira. O Brasil, representado pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, vem participando ativamente do Painel de Alto Nível para a construção da Agenda Pós-2015 na ONU. Os trabalhos do grupo devem refletir os novos desafios para o Desenvolvimento enquanto consolidam e avaliam a experiência adquirida na implementação dos ODM. 

Diálogo Social – Realizado em abril de 2013, o evento “Diálogo Social: Agenda Pós-2015 e Seguimento à Rio+20” contou com expressiva participação de representantes da sociedade civil, que trouxeram para o debate questões sobre trabalho decente, cultura e Política Nacional de Resíduos Sólidos, dentre outros assuntos, e cobraram mais envolvimento de indígenas, mulheres, jovens, negros, prefeituras e mídia nas discussões brasileiras sobre a nova agenda mundial.

O governo brasileiro compreende a transparência, o acesso à informação e a participação social como elementos intrínsecos ao conceito de democracia participativa, conferindo legitimidade ao exercício da cidadania e elaboração das políticas públicas. Nesse sentido, o evento significou um primeiro passo no sentido de fomentar o debate entre sociedade e governo acerca da construção de uma agenda Pós-2015 e um seguimento à Rio+20 (futuro dos ODM e construção dos ODS).

 

Para mais informações sobre o tema, acesse os seguintes documentos: