Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2016 > Abril > Municípios do Espírito Santo articulam integração com ODS

Notícias

Municípios do Espírito Santo articulam integração com ODS

Onze cidades discutem políticas públicas na área de educação alinhadas com os objetivos

Com o objetivo de integrar a agenda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) com as políticas públicas na área de educação de onze municípios do estado do Espírito Santo, acontece entre terça (5) e quarta-feira (6) o Fórum de Educação Profissional e Tecnológica do Norte Capixaba, em São Mateus (ES).

“Precisamos construir esta agenda conjunta com os municípios, com o foco nas metas dos ODS na área de educação e nas principais carências da região como água e energia”, afirmou o multiplicador da Rede ODS do ES, Telmo Sodré. “Durante o Fórum vamos debater, principalmente, os objetivos e metas dos ODS 4, 6, 7, 8, 16 e 17”, completou.

Leia mais:

>>> Em seminário, secretário defende agroecologia e produção de orgânicos
>>> SG discute participação na Marcha dos Prefeitos em maio
>>> Delegação do Nepal estuda sistema federativo brasileiro

DSC_9657_semMarca.jpg
Políticas públicas dos ODS envolvendo a área da educação foram discutidas no Espírito Santo.  Foto: Sandra Carneiro

 Os onze municípios envolvidos na integração com os ODS são: Boa Esperança, Conceição da Barra, Ecoporanga, Jaguaré, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo e São Mateus.

“As escolas e as universidades podem e devem abordar o tema dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em todo o país”, afirmou Davi Schmidt, coordenador-geral de Projetos Especiais da Secretaria Nacional de Articulação Social (SNAS). “Num ano de eleições para prefeito e vereadores, como 2016, a população informada exigirá que seu representante tenha um programa alinhado aos ODS”, disse.

O Comitê Gestor de Desenvolvimento Sustentável da região Norte Capixaba - composto por gestores públicos, iniciativa privada e sociedade civil - ficará responsável pela implementação da Agenda 2030 na região e a Rede ODS do estado pelo monitoramento das ações.

Congresso GIFE e os ODS

O Congresso GIFE foi realizado na cidade de São Paulo, de quarta (30) à sexta-feira (01), e é o principal encontro sobre investimento social do Brasil. Nesta 9ª edição, os participantes discutiram a relação entre público e privado, sobretudo o uso de recursos privados para ações de interesse público, através das parcerias público-privadas (PPPs) e a partir da atuação dos institutos, fundações e empresas envolvidas com investimentos sociais.

Os ODS, diz Davi Schmidt, podem atuar como um guia para os gestores municipais e estaduais e também para a elaboração e execução do Plano Plurianual (PPA). “No planejamento estratégico do Governo Federal esta atuação se dará da seguinte forma: articulação em redes e interinstitucional; formação dos atores sociais e institucionais; e produção, disseminação e intercâmbio de conhecimentos”, explicou o coordenador.

CONSEA e os ODS

A Comissão de Presidentes de Conselhos Estaduais de Segurança Alimentar e Nutricional (CPCE) também realizou atividade na semana passada com representantes dos Consea estaduais e nacional com o propósito de fazer um balanço das ações e definir as prioridades de atuação do Conselho em 2016/2017.

O alinhamento da pauta de Segurança Alimentar e Nutricional com os ODS foi consenso durante a reunião. A gerente de Articulação Institucional do PNUD, Maria do Carmo Rebouças, participou da atividade e explicou aos participantes o processo de negociação dos ODS e a aprovação dos indicadores que estão em curso na Comissão de Estatística da ONU, e que conta com a participação do IBGE.

“Em setembro de 2015, a Cúpula da ONU aprovou os 17 objetivos e 169 metas. Atualmente, os indicadores estão sendo negociados por um grupo de peritos inter-agências sobre indicadores dos ODS. Foram propostos 229 indicadores e 149 já foram aprovados, 80 ainda estão em negociação”, relatou Rebouças.

O representante da Rede ODS da Paraíba, Arimateia França, participou da atividade e reforçou a necessidade dos Conseas estaduais promoverem debates e mobilização em torno da Agenda de desenvolvimento sustentável. “O encaminhamento final foi que os ODS serão inseridos nas pautas dos Conseas estaduais e seus integrantes devem participar das atividades promovidas pela Rede ODS no país”, disse.

Ivonne Ferreira - SNAS/SG