Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2018 > Maio > Marun: aprovação de verba para cobrir calote mostra vitalidade da base aliada
conteúdo

Notícias

Marun: aprovação de verba para cobrir calote mostra vitalidade da base aliada

Congresso Nacional

Para ministro da Secretaria de Governo, destinação de recursos para o Fundo de Garantia à Exportação (FGE) preserva credibilidade nacional e internacional brasilei

Jefferson Rudy/Agência Senado

Congresso

A aprovação, pelo Congresso Nacional, do projeto de lei que abre créditos extraordinários para cobrir um calote da Venezuela e Moçambique a bancos públicos e privados foi uma demonstração de força da base aliada do Governo do Brasil, avaliou nesta quinta-feira (3) o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, em entrevista a jornalistas.

“Ontem foi uma demonstração de vitalidade da base. Foi uma vitória do bom senso e foi também uma demonstração do senso de responsabilidade dos parlamentares que decidiram comparecer e votar pelo Brasil”, disse o ministro, que também enfatizou o esforço das lideranças em garantir o quórum necessário para votar a questão.

Com a verba garantida pelos parlamentares, o Brasil conseguirá destinar R$ 1,16 bilhão para o Fundo de Garantia à Exportação (FGE), uma espécie de fiador junto a bancos para que empresas de outros países comprem produtos e serviços brasileiros. Como a operação de exportação da Venezuela e Moçambique tinha o Brasil como garantidor, era necessário cobrir esse calote para manter a fama de bom pagador do País.

Exportação e credibilidade

Para o ministro, a autorização do Congresso Nacional para garantir esses recursos foi importante para preservar a credibilidade do Brasil frente a agentes econômicos tanto no ambiente doméstico quanto no exterior. Além disso, vai ajudar a manter o bom ritmo das exportações brasileiras. “[A aprovação] permitiu que nós cumpríssemos esse compromisso do FGE, o que vai permitir que as exportações brasileiras sigam no ritmo acelerado e que o Brasil mantenha a credibilidade nacional e internacional”, concluiu.

Com Informações do Portal Planalto