Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2018 > Outubro > Brasil está na lista dos Campeões mundiais em apoio a abordagens agroecológicas
conteúdo

Notícias

Brasil está na lista dos Campeões mundiais em apoio a abordagens agroecológicas

A entrega do prêmio Future Policy Award 2018 acontece no dia 15 de outubro em Roma.

A Secretaria de Governo da Presidência da República, por meio da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO, 2012), está entre os vencedores do Future Policy Award desse ano. A premiação será anunciada no dia 12 de outubro e celebrada durante a Semana Mundial de Alimentação, em cerimônia no dia 15 de outubro de 2018, na sede da FAO em Roma (Itália).

As melhores políticas do mundo para a promoção de abordagens agroecológicas selecionadas para o prêmio internacional incluem políticas do Brasil, Equador, Dinamarca, Índia, Senegal, Filipinas e Estados Unidos, além do TEEBAgrifood. Reconhecendo que a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis é fundamental para alcançar o desenvolvimento sustentável e a resiliência climática, o Future Policy Award ("Prêmio de Políticas para o Futuro") de 2018 celebrará políticas que criam ambientes propícios para o avanço desta transição. O prêmio deste ano é co-organizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o World Future Council (WFC) e a IFOAM - Organics International.

Neste ano, o Prêmio de Políticas para o Futuro (Future Policy Awards FPA) homenageará políticas que efetivamente expandem abordagens agroecológicas no nível local, nacional e internacional, além de celebrar exemplos notáveis de políticas que geram mudanças transformadoras na forma como produzimos e consumimos nossos alimentos.

No total, 51 políticas de 25 países foram pré-selecionadas. Um júri de especialistas internacional foi convocado para deliberar sobre os principais candidatos. As seguintes políticas foram selecionadas como as melhores do mundo no apoio à ampliação de abordagens agroecológicas:

•          Brasil: Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO, 2012)

•          Dinamarca: Plano de Ação Orgânica para a Dinamarca: Trabalhando juntos para mais alimentos orgânicos (2011-2020, atualizada em 2015)

•          Equador: Programa de Agricultura Urbana Participativa de Quito (AGRUPAR, 2002)

•          Índia: Política de Agricultura Biológica do Estado da Sikkim (2004) e Missão Orgânica de Sikkim (2010)

•          Filipinas: Kauswagan: Programa "Das armas para as Fazendas" (2010)

Com abordagens holísticas e impactos impressionantes, essas políticas e iniciativas criam ambientes propícios para a implementação da agroecologia, ajudam a alcançar as aspirações da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e contribuem diretamente para diversos Objetivos de  Desenvolvimento Sustentável. Todas elas buscam proteger a vida e a renda de pequenos e agricultores familiares, oferecendo sistemas de produção de alimentos sustentáveis e inclusivos. Além de implementar práticas agrícolas sustentáveis, ajudando a conservar e aprimorar recursos naturais, fortalecer a capacidade de adaptação às mudanças climáticas e contribuir para a mitigação de seus efeitos.